Incêndio e Inundações

Deus, como têm sido tempos desoladores. A chuva, que foi tão esperada durante o Verão, é agora abundante e está a arrastar o solo e as pedras das montanhas, levando-os consigo pelos terraços e para os rios.

As cinzas e as agulhas dos pinheiros caídas tornaram estes solos ácidos ainda mais hidrófobos. Mesmo após estes dias e semanas de chuva, se raspar a superfície do solo florestal está completamente seco - pó - apenas 2,5cm a 5cm abaixo do molhado!

A chuva simplesmente se esvaia e leva o solo consigo. Já esperávamos que isto acontecesse depois dos incêndios. Mas esperá-lo e vivê-lo são complemente distintos.

Então, e o que fazer? Estou a resistir à tentação de me enfiar debaixo do edredão e tenho passado tempo nas montanhas a cantar, a ouvir e a lançar à terra as sementes - flores para as abelhas e bolotas e castanhas para uma nova floresta, a qual poderei nunca ver na maturidade.

E - tão importante - estou a alimentar a visão destas encostas cobertas de vida pujante, que veio até mim clara como água, não muito depois de ter chegado a estas maravilhosas e esquecidas montanhas. E esta visão não me foi presenteada só a mim. Muitos de nó,s que fomos atraídos até aqui, temos esta visão do futuro. Esta visão de vida pujante que temos são as montanhas e a futura floresta a falar-nos e a dar-nos a energia e a esperança para continuarmos. A visão não é nossa individualmente, é nosso do colectivo.

Oiças as suas terras. Que lhe dizem elas? O que é que a Terra está a sonhar através da sua imaginação e discernimento? O que lhe está a ser pedido neste momentos cruciais? Demore um momento, vários momentos e oiça. A Terra não se refrea quando simplesmente perguntamos: Que posso eu fazer?

E depois aja. Não tem de ter um plano de acção completo. Eu não tenho. Eu dificilmente sei o que fazer na semana seguinte quanto muito ter um plano abrangente. Mas sei sempre o que fazer hoje. E hoje é para testemunhar o que está a acontecer, deixar que o meu coração abra e semear outra bolota.​

Se quiser nos ajudar a regenerar os detalhes estão aqui

Article: 
Blog

Eventos

Concerto, Conversa e Discussão - 1 e 2 de Agosto - Coja e Benfeita

Temos a honra de receber Tiokasin Ghosthorse, que viaja desde a sua reserva em Dakota do Sul até Portugal, para partilhar connosco oração, música e sabedoria intemporais.

Benfeita, 1º de Maio de 2017
Hoe houd ik van mijn lichaam en vind ik vrijheid in obsessies met eten. Donderdag 18 – zondag 21 mei 2017 Buinen, Netherlands

Heb jij een negatief beeld van jouw lichaam?

Quinta da Floresta, Benfeita 21 Outubro das 10h às 17h

Devido à grande procura, venho com grande satisfação anunciar uma nova oportunidade esta Primavera de iniciar a aprendizagem da arte e ciência do reconhecimento de plantas, no nosso bonito vale na Serra do Açor.

Quinta da Floresta, Benfeita 2018

Desde há milénios que as pessoas se retiram para locais selvagens para encontrar a paz interior e uma maior perspectiva da Vida. A Natureza, com a sua simplicidade e beleza, sustenta um profundo relaxamento do corpo, mente e alma.

ÚLTIMAS ENTRADAS NO BLOGUE

Muitas das plantas e árvores das quais as abelhas e outros insectos vivem arderam nos incêndios deste Outubro e não florescerão este ano e algumas nem no próximo ano. Apresento-vos as minhas sugestões sobre como ajudar os polinizadores durante estes tempos difíceis.

Deus, como têm sido tempos desoladores. A chuva, que foi tão esperada durante o Verão, é agora abundante e está a arrastar o solo e as pedras das montanhas, levando-os consigo pelos terraços e para os rios.

Sou apaixonado por construir com madeira em toros (troncos?). Conheço poucas coisas que façam sentido de tantas maneiras, quase todas de sentido prático e ecológico – o que no fundo é o mesmo – mas também financeiramente, esteticamente e em termos de resiliência e gestão da floresta.   

Ouvi dizer que, quando se está a criar, está-se mais próximo do Criador e, na minha experiência, isso é verdade.